top of page

Que Estátua é essa? Bihar

Atualizado: 16 de mai. de 2022

O que significa essa menina com expressão angustiante instalada no fundo das águas de um rio espanhol?


Em outubro de 2021, quem passava pela orla do Rio Nervión, em Bilbao na Espanha, foi pego de surpresa por uma obra imensa que apareceu no fundo do rio: a cabeça de uma menina com expressão angustiante simplesmente surgiu do dia para a noite, após seus criadores terem levado a obra até ali a bordo de um barco, no meio da madrugada. E a ideia era essa mesmo: surpreender, chocar, comover e gerar reflexões.



Obra "Bihar" no fundo do rio Nervión, na Espanha. Foto: Divulgação


A intervenção foi encomendada pela Fundação BBK, o braço de caridade do banco credor espanhol Kutxabank. A instituição queria levantar o debate sobre as graves consequências do aquecimento global e é aí que a história fica mais interessante: à medida que a maré sobe e desce, o nível de água do rio aumenta ou diminui. Essa oscilação faz com que a estátua fique submersa ou descoberta, causando a nítida sensação de afogamento da garota.



"Bihar" . Foto: Divulgação


A escolha de uma criança para o desenvolvimento da campanha tem a ver com a própria proposta da escultura, que pretende também mostrar que o impacto das decisões atuais da sociedade causa consequências diretas em relação à vida dos jovens. É por isso também que o nome da escultura é ‘Bihar’ ou ‘Amanhã’ em basco.



"Bihar". Foto: Divulgação


Reações

Por um lado, há quem ache essa proposta muito interessante e, por outro, há quem critique a obra e pense que é uma escultura de mau gosto. O certo é que ela não passa despercebida por ninguém, atraindo muitos curiosos até o parapeito do rio Nervión.



Turista fotografa "Bihar" da orla. Foto: Divulgação

Efeito Bilbao

Não podemos falar sobre Bilbao sem citar o "Efeito Bilbao", que tem íntima relação com a escultura Bihar. Este é um fenômeno que teve início em Bilbao e acontece quando um conjunto de obras consegue transformar uma cidade sem atrativos e de economia pequena em um destino cultural e internacional de sucesso.

Bilbao fica ao norte da Espanha, no país basco, marcado por muitos conflitos políticos ao longo dos anos que gerou uma recessão econômica considerável até o início dos anos 90. Era uma cidade pouco atraente esteticamente, muito populosa, extremamente industrializada, entre outras característica que lhe tiravam "o brilho". Então, o governo de Bilbao lançou um grande plano de revitalização da região, que incluía um novo projeto urbanístico, estético, econômico, cultural e social para a cidade. A ideia era transformar Bilbao, uma simples cidade portuária, numa grande metrópole.

projetos ambiciosos

Foi então que no final dos anos 90, o governo começou a investir pesado principalmente em arquitetura, começando pela revitalização das margens do rio Nervión. O governo queria uma orla convidativa para pedestres e ciclistas. O projeto da orla do Rio foi assinado por César Pelli, um arquiteto muito famoso por criar projetos de grandes arranha-céus em Manhatan e em todo o mundo.

museu Guggenheim

Desde o início, já estava prevista a construção de um grande museu. Foi quando o governo de Bilbao soube que havia o interesse do museu Solomon R. Guggenheim, de Nova York, em expandir o museu para a Europa. Bilbao então se candidatou a receber essa franquia e em 1992 o arquiteto americano Frank O. Gehry apresentou o projeto do prédio a ser construído.

Em 1997 o museu foi inaugurado e foi um sucesso desde o início! Já no primeiro ano, o Guggenheim recebeu mais de 1,3 milhões de pessoas e se tornou o segundo maior museu da Espanha.

Museu Guggenheim visto do rio Nervión. Foto: Divulgação

A construção deste projeto ousado e complexo revolucionou a arquitetura contemporânea e se tornou uma das grandes obras-primas do século XX. Por fora, o museu é coberto de placas de titânio curvadas em vários pontos. Ele tem textura que lembra escamas de um peixe. Olhando de cima, lembra uma flor cheia de curvas. Visto do rio, o edifício parece ter a forma de um barco.

Detalhes da construção do Museu Guggenheim. Foto: Flickr

O museu possui 28 galerias e cerca de 250 obras com foco na arte contemporânea do século XX. Nele, podemos encontrar algumas pinturas e esculturas, mas principalmente instalações audiovisuais e interativas.

Interior do Museu Guggenheim. Foto: Divulgação


ponte zubi zuri

Além do Museu Gugghenheim, na orla do Nervion, bem do lado da estátua Bihar, foi instalada a passarela para pedestres chamada de Zubi Zuri, também com um desenho todo diferentão, assinado pelo arquiteto valenciano Santiago Calatrava. Ela leva o visitante de um lado ao outro do rio, em direção ao Museu.



Passarela Zubi Zuri sobre rio Nervión em Bilbao, na Espanha É justamente aí que mora a contradição da sociedade contemporânea e é também este ponto que nos traz de volta ao tema central deste conteúdo, que é a instalação da menina afogada.

Quando a pessoa atravessa o rio Nervion, ela tem realmente uma bela vista do museu, da cidade antiga, dos prédios chiquérrimos do novo centro comercial e financeiro, mas também tem vista não tão privilegiada da poluição do rio Nervion. Apesar de passar por diversos projetos de saneamento e de recuperação das águas ido rio, todos os tipos de dejetos, tanto residenciais como industriais, são continuamente despejados no rio. O que é bastante questionável. O governo investiu em arquitetura, em obras de arte, nas empresas, no turismo, mas e o meio ambiente?


A obra e o artista

Bihar é uma estátua hiper realista feita pelo artista Ruben Orozco com fibra de vidro e pesa 120kg. Segundo o artista, a intenção é que as pessoas saibam que “suas ações podem nos afundar ou nos fazer flutuar”


Ruben Orozco é mexicano e sua técnica é simplesmente impressionante. Ele também esculpe em mármore, prata, ouro e bronze, além de criar obras de silicone bem pequenas e com uma riqueza de detalhes de cair o queixo.



Ruben Orozco

Mercedes

Essa não é a primeira vez que Ruben cria uma obra com essas características de inspirar reflexões. Em 2019, uma escultura intitulada "Mercedes" foi inaugurada também na cidade de Bilbao, causando um forte impacto na comunidade.


A obra fazia parte de uma campanha sobre a solidão dos idosos realizada pelos mesmos promotores de Bihar e foi inspirada em uma dona Mercedes "real", esta mulher de 89 anos moradora da cidade e vive uma realidade de não ter com quem partilhar momentos.



Escultura "Mercedes" de Ruben Orozco e "Mercedes" da vida real. Foto: Divulgação





Posts recentes

Ver tudo
bottom of page